quinta-feira, 30 de junho de 2011

Tchau breast pump! Oi copo de treinamento!

Todas as coisas de alimentação da Gabi ficam em uma cesta num armário da cozinha. Hoje eu resolvi arrumá-la porque as coisas não estavam mais cabendo. De repente começaram a entrar na cesta um monte de pratinhos e colherzinhas. E a cada dia mais uma mamadeira, porque durante a semana até tem a menina que me ajuda aqui em casa, mas ninguém merece passar o final de semana lavando mamadeiras o dia todo, né?

Organizando, eu retirei tudo da bombinha para extrair leite, inclusive os tubinhos para armazenar. Menos a mamadeira que veio com ela, porque como já disse mais uma mamadeira nunca é demais. A fase da amamentação não é uma fase da qual eu vou sentir falta, muito menos da fase que eu tinha que tirar leite pra continuar produzindo uma quantidade suficiente para Gabi, mas tenho que admitir que ao retirar da caixa me bateu uma certa saudade.

Eu ainda fico boba como a vida é incrível... Quando a Gabi tinha 2 meses, se alguém me perguntasse sobre o próximo bebê eu não teria a menor dúvida para responder que "Não! Chega de bebês!". Mas, agora que a Gabi está com 9 meses eu já nem acho essa idéia assim tãaaaaao absurda. Como pode, né? Eu ainda não consigo dizer coisas como "Que saudades do meu barrigão" ou "Como sinto falta daquele bebezinho recém nascido" porque seria mentira. Mas eu acho que é importante para Gabi ter um irmão. Eu sou completamente louca pelos meus e não consigo nem imaginar como seria a minha vida sem eles. Então, neste momento, a idéia de dar um irmão a Gabi já não me soa mais tão estranha.

No início, a idéia era esperar que ela completasse 1 ano pra começar a pensar numa segunda gravidez. Eu queria aproveitar bastante a Gabi, dar muita atenção a ela e só depois pensar nisso. Quando o 2o bebê nascesse a Gabi já estaria com 2 anos, mais ou menos. Essa era a idéia ANTES da Gabi nascer, depois dos primeiros meses com ela, a idéia passou a ser SE eu tiver outro e não QUANDO. Mas, agora... Sei não... Acho que a idéia de esperar o 1o ano dela está voltando...

Tirando o lado emocional, eu preciso pensar também no lado prático da coisa, né? Todo mundo sabe que pensar em outro filho para mim não é simplesmente parar de tomar pílulas. Custa caro, é um processo difícil e que não tem nenhuma garantia. E quanto mais velha eu for, mais difícil, mais caro e menos garantia terá.

É, acho que é melhor guardar o breast pump e seus tubinhos de armazenamento direitinho, porque ainda faltam 3 meses para Gabi completar 1 ano e do jeito que as coisas estão mudando, em 3 meses tudo pode acontecer. Quem sabe daqui a pouco a cesta da Gabi não ganha uma companheira, assim como ela. Mas, a dela vai ser pra vida toda e a melhor coisa do mundo!! Se bem que acho que ela não vai achar assim tão legal no início, não...




Foto by Tio Rafa, no niver da Tia Bia



PS: Ah, a quem interessar, a Gabi já está ótima. Da virose só restou um pouquinho de tosse que a nebulização está mandando embora. Agora estamos eu e malido doentes.




Gabi com 9 meses.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Que fase...

Lembram do silêncio? Acabou! Gabi está de volta em casa. Mais uma virose.

Desta vez a volta à creche durou somente uma semana! Ela voltou na quarta da semana passada e ontem (terça) me ligaram de lá dizendo que ela estava com febre. Ela já tinha tido febre à noite, mas eu achei que era besteira mantê-la em casa, que tínhamos que ser mais calmos e entender que crianças são assim mesmo, blablabla. Mas, eu não consigo ser essas mães que mandam o bebê pra creche com o remedinho na mochila. Fomos buscá-la e hoje já fomos ao pediatra. Ele nos disse que é isso mesmo, bebês têm uma média de 1 virose por mês. É muita coisa nova, eles não estão acostumados e nem têm defesa. Os bebês que vão pra creche pequenos têm mais chance de pegar viroses ainda.

Que maravilha... E agora, tiramos ela da creche por um tempo? Mas, se tirarmos quem vai ficar com ela? Contratar uma babá? E eu lá vou confiar em alguém pra ficar com a minha filha? Vou viver andando atrás da mulher. Não vou deixar nem que ela leve a Gabi até o play pra pegar sol, que dirá à pracinha.

Por outro lado, eu PRECISO de um tempo pra mim. Ser mãe 100% do tempo é intenso demais. (Medidor de culpa no máximo só por ter escrito essa frase.) Se babá nem pensar, como faço então? Mantenho a pequena na creche e aceito que vou ter que conviver com as viroses? É fato que por mais que tentemos, bebês não têm rotina. Pelo menos não por muito tempo. Mas, um bebê com virose é mil vezes pior. Choros sem motivo, falta de apetite, vômitos, acordam de madrugada mil vezes, fora o óbvio que é você ver seu bebezinho sofrendo.

Ainda não sei o que vamos fazer. Mas, pela nossa experiência, temos 2 semanas pra resolver. Uma semana ela passada se recuperando e a outra se fortalecendo. A única coisa certa é que na terceira semana ela vai tomar a vacina da gripe! O inverno já chegou, mas ela ainda não conseguiu tomar porque não ficou bem tempo suficiente. É bem provável que a vacina faça com que ela desenvolva mais uma gripe, mas não quero nem saber. Eu sei que a gente deve se acostumar, todo mundo diz que é assim mesmo, mas é muito ruim vê-la assim.


O bom é isso: comendo tudo e ainda fazendo palhaçada.



Gabi com 9 meses.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Dá tchau, Gabi!

Como diz a minha avó, as visitas a Gabi, se depender dela, agora são bem curtas. Toda pessoa que chega aqui é recebida com um tchau.

É tão gostoso ensinar coisas novas a ela. E o orgulho quando ela aprende?


Gabi com sua roupa de aventureira. Joelheiras para engatinhar sem machucar o joelho. Afinal, ela é uma mocinha, né?


Gabi com 9 meses.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

9o Mesversário

E a minha bebê chegou aos 9 meses!! Chegou à última gaveta da cômoda! Quando eu arrumei o quartinho, eu separei as 4 gavetas da cômoda por idade: a 1a de 0-3 meses, a 2a de 3-6 meses, a 3a de 6-9 meses e a última de 9 meses a 1 ano. Chegamos à última!!

O que eu posso falar sobre isso é que perdemos MUITAS roupas!! Algumas sem nem usar :-( Outras usamos somente uma vez! É importante ao fazer o enxoval prestar bastante atenção às estações, assim você evita um monte de bodies sem manga no inverno ou um monte de calças no verão. Eu levei tudo isso em consideração, mas mesmo assim algumas roupas ela nem chegou a usar e algumas eu tive que comprar. As compras foram por causa do inverno repentino que apareceu aqui no Rio e que está durando mais do que uma semana, como de costume. A Gabi não tinha camisas de manga cumprida nem calças suficientes. Ela gasta 3 mudas de roupa na creche!

Agora vou começar a re-arrumar a cômoda e o armário dela. Separar o que pode ser doado e as coisas que eu quero guardar. Ainda não sei se para um futuro irmãozinho ou priminho. Ainda é cedo DEMAIS para pensar na idéia de uma nova gravidez por aqui.

Neste mês teve várias novidades na vida da Gabi:



  • Aprendeu a dar tchau. E, mais importante, aprendeu que quando a gente diz "Gabi dá tchau pra fulana." É pra dar tchau. Agora vive dando tchau para todo mundo.


  • Aprendeu a jogar beijo, mas isso só faz quando ela quer. Fulana fica sempre sem beijo e nós passando como mentirosos.


  • Conheceu o parquinho e adora balanços.


  • Está mais segura engatinhando, e agora ninguém mais segura essa menina!


  • Bate palminhas quando a gente canta "Parabéns pra você".


  • Estala a língua, mas ainda não entendi se ela acha que isso é um beijo ou só está fazendo um barulho divertido.


  • Inventou um novo sorriso mostrando as gengivas gordinhas.



  • Na visita ao pediatra:





  • Pesando 8,950kg e medindo 71cm.


  • A comida agora tem que ser amassadinha, acabou o liquidificador.


  • Já pode "chupar" pães e carnes. A carne ainda não testamos, mas o pão ela estranhou a beça.




Eu estou adorando essa fase! Ela é uma bebezona, mas já interage bastante. Muito gostosa! Mas, como passa rápido.... Parece que foi ontem que a gente trouxe aquela bebê berrando da maternidade. Agora ela já senta toda mocinha no carro.


Parabéns, gorducha!






Gabi com 9 meses.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Curtas

Ontem coloquei a Gabi para dormir e demorei um pouco para ligar a babá eletrônica. A nossa babá eletrônica tem vídeo e na base que fica com a gente tem um controlezinho que mexe a câmera. Quando liguei não entendi bem o que ela estava focando, então fui mexendo o tal controle para tentar visualizar melhor. Foi quando vi um mãozão! Ela acordou e arrancou a câmera!!! Quando cheguei no quarto ela estava sentada, morrendo de rir, brincando com a câmera. Ela já estava tentando pegar essa câmera há bastante tempo, mas eu sempre conseguia chegar lá a tempo de impedí-la. Atenção redobrada agora!


Gabi com 9 meses.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sobre o último post

Ontem à noite estava pensando no fato da Gabi voltar à creche hoje e pensando no post que faria para contar isso a vocês. Ontem à noite, depois de passar o dia inteirinho com ela e trabalhando, depois de dar o jantar, brincar mais um pouco, dar banho e colocar para dormir, o post seria completamente diferente. Eu só conseguia pensar que hoje poderia me concentrar realmente no trabalho. Que poderia sair para almoçar com uns amigos. Que poderia almoçar com calma. Que poderia tirar uns minutos para não fazer nada! E claro, que ela teria um dia muito mais ativo. Que estaria rodeada de crianças, brincando solta num abiente totalmente preparado para que ela possa se aventurar e engatinhar bastante em segurança.

Mas, hoje de manhã, depois de passar só 1 horinha com ela, deixá-la na creche e voltar pra casa silenciosa eu cai no choro. Sério! Me deu um aperto no peito voltar pra essa casa vazia e deixar minha bebê na creche. Ontem, conversando ao telefone com a minha mãe, ela ainda comentou "Amanhã você vai morrer de saudades dela!" e eu disse "Não vou, não." Mas, isso foi ontem!

Eu não me apaixonei pela Gabi no primeiro momento que a vi. Nem no segundo. Esse amor foi crescendo aos poucos. E todo mundo sabe que amor é muito mais forte que paixão. Cada dia que passa eu fico mais apegada a ela e parece que ela fica mais apegada a mim também. É muito gostoso ouvir aquele "mã mã mã" pela casa. É maravilhoso vê-la descobrindo o mundo e aprendendo coisas novas. Vê-la tentando imitar a gente. Vê-la feliz da vida quando a gente imita ela.

Eu realmente não imaginei que teria essa reação hoje. Eu sabia que sentiria saudades, mas achei que ter esse tempo pra mim seria tão bom que eu, no máximo, passaria o dia de olho nas horas esperando o horário para buscá-la. Mas cair no choro? Me sentir triste mesmo? Isso nunca passou pela minha cabeça. Acho que como ela passou muito tempo em casa, mesmo sendo trabalhoso e cansativo, era muito gostoso tê-la aqui do meu lado o dia inteiro. É como se eu estivesse passando por aquela ansiedade da adaptação na creche pela primeira vez. Como se fosse a primeira vez que a gente se separa. E olha que nem na adaptação de verdade eu fiquei assim. Não falei que o amor vai crescendo?



O maior amor do mundo!



Gabi com 9 meses.

Está ouvindo o silêncio?

Gabi voltou pra creche hoje. Droga, já estou com saudades...

O cercadinho está montado aqui na minha frente. Vazio... Ainda demora muito para 5 horas??








Gabi e seu novo sorriso! Acho que a gengiva inchadinha faz com que ela sorria assim.
(Eu tentei virar essa foto, mas o blogger cisma em postá-la assim...)




Gabi com 9 meses.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Primeira Havaiana

Só ficou no pé o tempo necessário para tirar a foto. Depois ela arrancou! Mas não ficou fofa?!




Gabi com 8 meses.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Gabi na Lagoa


Ontem fomos passear na Lagoa (Rodrigo de Freitas, pra quem não conhece o Rio). Um dos lugares mais bonitos da cidade e muito gostoso pra passear com ou sem criança. Pena que o sol já estava indo embora e esfriou rápido e por isso tivemos que voltar pra casa. Da próxima vez vamos mais cedo para aproveitar mais!

Gabi adorou o passeio. Brincou bastante na grama. Aliás, na manta que coloquei na grama, porque da grama mesmo ela não gostou, não. Encheu a mão e ficou fazendo carinha de nojo. Muito fofa!! Ficava brincando e dando tchauzinho para todo mundo que passava e mexia com ela. Realmente essa simpatia toda ela herdou do pai.

Provou água de côco pela primeira vez. Fez aquela cara estranha de sempre que prova algo novo, mas gostou.




Da próxima vez vamos andar de pedalinho.



Gabi com 8 meses.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Te conheço???

Aqui no Rio, quando o termômetro mostra uma temperatura abaixo de 30 graus, as pessoas já saem nas ruas de botas, casacos pesados e até cachecol!!! Tudo bem que a gente não tem inverno, então qualquer chance de usar essas coisas as pessoas querem aproveitar. Mas, se você quer usar essas roupas TODO MUNDO tem que estar sentindo este frio todo também???

A Gabi é mega calorenta, vive suada, então mesmo com esse tempo mais fresquinho ela não anda toda encasacada. Calça comprida, meias, mas camisa de manga curta e está ótimo. Tenho até que adimitir que a calça comprida é mais para facilitar para ela engatinhar do que mesmo pro frio, mas protege também, né? Sempre que a gente sai com ela as pessoas têm a necessidade de falar coisas do tipo "Você não está com frio, não bebê?", ou pior ainda "Ô mãe / pai, essa criança está com frio!!" COMO É QUE É???? A filha é minha e VOCÊ que sabe se ela está com frio ou não??? Gostaria de responder "É, eu sei, está super frio, mas eu gosto que ela sinta frio." ou melhor ainda "Te perguntei alguma coisa?? Te conheço????"

Fala sério...



Tá vendo, ela tem roupa de frio! Mas, ela só usa quando EU acho que precisa.







Gabi com 8 meses.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Ser mãe é...

... aprender a conviver com a culpa!

Gabi não está totalmente recuperada da gripe, então o pediatra achou melhor que ela não voltasse para a creche ainda. Ela está em casa há quase 1 mês. E, eu já voltei a trabalhar. Como faz para cuidar / entreter um bebê e trabalhar ao mesmo tempo?

Ela está naquela fase de querer descobrir o mundo. Não para quieta, quer mexer em tudo e colocar tudo na boca. Sobe no sofá, desce do sofá, fica em pé em cima do sofá. Para que eu consiga trabalhar um pouco, ela tem ficado num cercadinho (que na verdade é um berço portátil). Ela brinca bem ali sozinha por uns 15 minutos, depois começa a resmungar que quer sair. Fica em pé, nas pontas dos pés, me olhando por cima da grade gritando, como quem diz "Ei, me tira daqui!" O dia lindo lá fora e ela ali presa, tadinha. E eu me sentindo a pior mãe do mundo.

Ao mesmo tempo, já voltei a trabalhar há bastante tempo, mesmo tendo a facilidade de poder trabalhar de casa, preciso mostrar serviço. Já passei da fase de poder "fingir" que estou trabalhando. Já estou envolvida em projetos, com prazos e expectativas. Eu sempre fui mega eficiente, então fico me sentindo a pior das funcionárias.

E aí, como se resolve isso?



Gabi com 8 meses.

domingo, 5 de junho de 2011

No parquinho

Agora tem uma praça aqui perto de casa com um parquinho bem legal. Estava tudo tão limpinho e bonito, espero que a população mantenha assim. Achei um lugar ótimo para levar a Gabi para brincar. Principalmente agora que ela já gosta dos brinquedos.



video


Olha eu sozinha no balanço!


Gabi com 8 meses.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Sentando à mesa

Aqui em casa não cabe um caideirão de jeito nenhum. A Gabi faz as refeições ou sentada no carrinho ou no balanço. Mas, sempre que nós estamos comendo eu sinto falta de um lugar para ela à mesa porque ela gosta de participar da bagunça.

Como a minha mesa é de vidro não dava para colocar aquelas cadeirinhas que prendem na mesa. Pesquisando na internet eu achei uma solução: a cadeirinha de pano! Ela pode ser usada em qualquer tipo de cadeira. Ela veste a cadeira e prende o bebê. Quando não está em uso, vira uma bolsinha que pode ser levada para qualquer lugar. Muito prática!

Eu comprei na Amazon porque tinha uma pessoa nos EUA que poderia trazer pra mim. Mas, aqui no Brasil tem. Semana passada mesmo teve uma matéria sobre isso no Mãe & cia no GNT.


Cade a minha pizza?!



Gabi com 8 meses.